segunda-feira, 22 de abril de 2013

Marketing & Idéias: 275 lojas online em que você não deve comprar.



Lista é divulgada pelo Procon/SP desde 2011 e recebeu atualização nesta segunda-feira (22).
 
275 lojas online em que você não deve comprar. O Procon/SP divulgou atualização de lista de sites não confiáveis, com 71 novos nomes. A divulgação ocorreu nesta segunda-feira com a inclusão de mais 71 sites de e-commerce em sua lista de sites não confiáveis.

Com o acréscimo, agora são 275 os sites não recomendados pelo órgãos. A justificativa para a inclusão no documento é o alto número de reclamações contra os fornecedores citados, principalmente por não entregarem os produtores comprados e não responderem ao Procon quando solicitados.

A lista completa está disponível no site do Procon/SP.
 
 
 
Fonte: www.administradores.com.br / Procon/SP. 
 
 

domingo, 21 de abril de 2013

Marketing & Idéias: Propaganda e Marketing: sinergia ou entropia?

 
Cuidado com novos publicitários imediatistas que mais se parecem com agentes financeiros que publicitários.
 
* Por Carlos Hilsdorf
 
Há uma estreita relação entre Marketing e Propaganda, embora sejam áreas muito específicas e o conhecimento e sucesso em uma delas, embora contribua, não implica sucesso da outra. Enquanto profissional de marketing você terá que estabelecer excelentes critérios e uma relação de qualidade com a agência ou agências que escolher para realizar os jobs necessários a seus objetivos e metas institucionais e comerciais. Esta relação quando construída sob critérios adequados, relacionamento de qualidade e muito bom senso proporciona resultados muito além dos previstos.
Acontece que várias ilusões extremamente comuns prejudicam a qualidade destes resultados. Critérios adequados, relacionamento de qualidade e bom senso não são tão espontâneos como parecem, precisam ser elaborados, construídos e administrados com carinho e proximidade. Vejamos algumas das inúmeras variáveis que devem ser levadas em conta na relação entre marketing e agências de propaganda.
 
Como escolher a agência:
 
A melhor agência não é a maior ou menor, é a que mais se compromete em entender a fundo o cliente e trabalhar duro para exceder suas expectativas. A palavra-chave é comprometimento!
Lembre-se que a relação entre agência e cliente é B2B, e salvo o caso raro e especial em que haja um vínculo pessoal muito forte entre seus representantes, o resultado que você pode esperar em termos de dedicação é diretamente proporcional à importância da conta que você está oferecendo. Por isso, se você não tem uma grande conta ou job para oferecer, muitas vezes, é melhor trabalhar com agências pequenas e médias, para quem você representa proporcionalmente mais, que optar pelo sonho de entregar suas solicitações a agências mais consagradas e premiadas, cujo tempo está comprometido com seus maiores clientes. É melhor ser um cliente "grande" em uma agência "pequena", mas competente, que um cliente "pequeno" em uma agência "grande"!
 
Cuidado com novos publicitários imediatistas que mais se parecem com agentes financeiros que publicitários; estes, em geral, estão iludidos pelo glamour que imaginam alcançar e, portanto, com a premissa e o foco equivocados. Opte pela agência mais dedicada a entendê-lo, suas reais necessidades e possibilidades para o momento e, ao mesmo tempo, disposta a dedicar-se a surpreendê-lo com a qualidade e adequação do seu trabalho. Podemos entender que Propagada é Comunicação + Arte + Business, nenhum destes vértices pode faltar!
 
Como ser um bom cliente:
 
Bons clientes, de fato, são tão difíceis de achar quanto boas agências. Estou cansado de ver agências apresentarem ideias geniais, conceitos extraordinários, que naufragam porque o "ego" do cliente resolveu fazer uns "pequenos ajustes". Nem todo profissional de marketing entende em profundidade de propaganda. Há gente que não é da área e entende muito e outros da área que entendem pouco. As duas melhores características de um bom cliente de uma agência de propaganda são: humildade e mente aberta para receber propostas diferentes das que havia imaginado, com as quais precisa namorar, entender e só então opinar...
O bom profissional de marketing tem a agência como parceira, não como competidora no campo de suas vaidades pessoais. Os "jogos de poder" entre cliente e agência são contra produtivos, um desperdício de tempo, dinheiro e trabalho. O cliente pode e deve orientar e reorientar a agência sobre os detalhes conceituais e institucionais que deseja ou não presentes nas peças e campanhas, mas precisa de muita humildade e bom senso para tentar "mexer" na criação, cuja linguagem não domina. Ser um bom cliente é saber que determinadas vezes vale a pena ampliar o budget frente a uma excelente ideia, na qual vale apostar e investir antes que um concorrente o faça! Grandes sacadas e oportunidades não ocorrem todo o dia, mas por incrível que pareça, às vezes ocorrem quase que simultaneamente a dois concorrentes observando o mesmo mercado! Fique atento.
 
Algumas dicas:
 
1) Cuidado com os excessos de solicitação e criação. Lembre-se do que dizia Picasso: "O segredo é saber o momento em que se deve parar; mais um traço estraga, mais uma pincelada e a obra se perde!"
2) Prefira agências com um atendimento muito dedicado e detalhista; afinal o briefing inicial é fundamental para a adequação da criação.
3) Prefira agências onde redator e diretor de criação trabalham em conjunto, pensando juntos (dupla de criação).
4) Reflita: "Estamos sempre mais ansiosos por sermos reconhecidos por um talento que não possuímos que valorizados pelos outros quinze que, de fato, possuímos" (Mark Twain).

Colabore com a agência, você tem a estratégia, ela descobrirá a melhor maneira de comunicá-la ao mundo! Bons negócios!
 
 
* Carlos Hilsdorf é considerado um dos melhores palestrantes do Brasil na atualidade. Economista, Pós Graduado em Marketing pela FGV e profundo pesquisador do Comportamento Humano. Palestrante do Congresso Mundial de Administração (Alemanha) e do Fórum Internacional de Administração (México). Autor do Best Seller “Atitudes Vencedoras”, apontado como uma das 5 melhores obras do gênero (VEJA, "Guia de Carreira", ed. 1832). Colunista de importantes veículos nacionais, é referência em desenvolvimento humano no país • contato@carloshilsdorf.com.br • Twitter: @carloshilsdorf
 
 
Fonte:  www.cidademarketing.com.br

segunda-feira, 1 de abril de 2013

Marketing & Idéias: Site lista 10 mentiras da Copa 2014.

 
Aproveitando o clima de piadas desse dia 1º, o site do canal de TV ESPN aproveitou o mote e publicou um texto onde lista as promessas não cumpridas dos governantes para a Copa de 2014
 
Na reta final dos preparativos para a Copa do Mundo de 2014, já dá para ter alguma noção sobre quais promessas feitas no início do projeto vão se concretizar (ou já se concretizaram) e quais ainda não foram cumpridas (e nem serão!). Aproveitando o clima de piadas desse dia 1º, mas sem perder o tom de crítica, o site do canal de TV ESPN aproveitou o mote e publicou um texto com o título “No dia 1º de abril, veja 10 mentiras da Copa do Mundo de 2014”.

No top 10, estão, por exemplo, a promessa de que a maior parte dos investimentos seria da iniciativa privada e que os estádios estariam prontos dentro do cronograma previsto. Veja abaixo a lista:
 
Investimentos majoritariamente privados
 
O site da ESPN destaca uma fala de Ricardo Teixeira antes de o Brasil ser oficializado como sede. "Uma Copa bem organizada é aquela que tem recursos prioritariamente do setor privado". O portal Terra destaca, entretanto, que 85% do custo da Copa está sendo pago com dinheiro público.
 
Governo não pagará estádios
 
O discurso repetido durante todo o processo de campanha do Brasil a sede da Copa era de que a iniciativa privada bancaria as construções e reformas de arenas. A Folha de São Paulo destacou, entretanto, no final do ano passado, que cerca de 90% dos custos dos estádios estariam sendo cobertos com dinheiro público.
 
As arenas não vão extrapolar o orçamento
 
Conversa furada. Todos os estádios estouraram o orçamento previsto inicialmente.
 
Estádios da Copa das Confederações prontos em dezembro
 
A ideia era de que os seis estádios do torneio estivessem finalizados em dezembro. Só o Castelão, em Fortaleza, cumpriu o prazo.
 
São Paulo terá monotrilho
 
Talvez o aerotrem de Levy Fidélix saia primeiro. Em outubro do ano passado, o governo de São Paulo admitiu que a obra não será concluída a tempo.
 
Projeto de mobilidade urbana em Manaus
 
Era para ser algo revolucionário, com monotrilho e BRT (uma espécie de ônibus rápido que trafega em faixas exclusivas), mas os governos municipal e estadual desistiram do projeto no meio do caminho, alegando dificuldades burocráticas
 
VLT em Brasília
 
Outra ideia revolucionária, mas perdeu força em meio a denúncias de corrupção e saiu da lista de obras para a Copa.
 
Ultimatos de Jerome Valcke
 
O secretário-geral da Fifa disse que os estádios da Copa das Confederações deveriam estar prontos em dezembro. Não ficaram. Depois, ele garantiu que nenhum poderia passar de abril. O Maracanã, entretanto, só será entregue em maio.
 
Aeroportos
 
Até que algumas coisas têm caminhado. Mas boa parte do que foi prometido também não ficará pronto a tempo.
 
Internet 4G
 
Segundo o site da ESPN, especialistas em telecomunicações avaliam que não será possível implantar a tecnologia em todas as cidades-sede até o início da Copa.


Fonte: www.administradores.com.br

Marketing & Idéias: 'Dia da Mentira' vira mais uma ferramenta de marketing.

 
 
O Dia da Mentira morreu. Ou melhor, deixou de ser uma brincadeira inocente entre pessoas comuns para se tornar um colosso corporativo controlado por executivos de marketing.

Empresas do mundo todo, incluindo Google, BMW e Sony-– adotaram a tradição de pregar peças nos incautos no 1º de abril, como forma de mostrarem seus lados mais descontraídos e conseguirem alguma publicidade gratuita.

O Google, que já faz isso há uma década, brincou com sua própria onipresença: lançou um arquivo de aromas, fingiu que iria desativar o YouTube, transformou o Google Maps em um velho pergaminho, com jeito de caça ao tesouro, e apresentou o Gmail Blue, nova versão do seu serviço de emails que tem como grande novidade... ser azul.

No Japão, a empresa de telecomunicações KDDI lançou um celular que é na verdade uma cama –- para poupar o usuário de ter de se levantar. E a Sony soltou os cachorros, literalmente, ao apresentar uma TV que só exibe imagens em cores que agradam aos cães, e com um controle remoto adaptado ao uso por patas.

No Twitter –-ou melhor, "Twttr", um blog disse que os usuários que desejarem usar vogais precisarão pagar US$ 5 por mês.

A Procter and Gamble lançou uma versão do seu enxaguatório bucal Scope no sabor "bacon".

A montadora alemã BMW ofereceu aos leitores do Reino Unido –-onde há grande agitação com a iminente chegada de um novo bebê real-– o veículo chamado Pram (sigla em inglês para "automóvel real pós-natal"). O anúncio tinha um carrinho de bebê em estilo esportivo, e um cão da raça corgis (favorito da realeza) em frente ao palácio de Windsor.

Sátira

No âmbito mais tradicional das falsas notícias do Dia da Mentira, o Yahoo francês colocou em sua manchete o anúncio de que, por razões de economia, o presidente François Hollande iria transferir seu gabinete do palácio do Eliseu para um dos subúrbios mais pobres de Paris.

O site Iceland Review Online noticiou que o Banco Central da Islândia havia resolvido o problema de como valorizar a krona, moeda local, que sofreu muito durante a crise financeira –- a reportagem satírica informava que a ilha escandinava adotaria como moeda o franco CFA, que circula em vários países africanos.

No Reino Unido, o jornal "Guardian" ofereceu ao seus leitores esquerdistas óculos de "realidade aumentada" que permitem "ver o mundo o tempo todo pelos olhos do Guardian".

O "Daily Mail" publicou um texto assinado por "Nesta Vowles" sobre o treinamento de corujas para a entrega de correspondências internas em um escritório –- o nome do jornalista soa como "ninho de corujas".

O "Sun" publicou uma foto de Mick Jagger em uma barraca, dizendo que o milionário vocalista dos Rolling Stones teria passado a Páscoa ao ar livre num treino para o festival de rock de Glastonbury.

Mas poucos jornais podem superar o "Times Daily", de Florence (Alabama, EUA), que destacou na sua capa de segunda-feira a foto de uma ponte local sofrendo um ataque simultâneo do Monstro do Lago Ness, de um óvni e do Godzilla. "Não há motivo para pânico", avisou o jornal. "Nenhum tomate assassino foi visto nos arredores."
 
 

Fonte: economia.uol.com.br