sábado, 15 de dezembro de 2012

Marketing & Idéias: Campanha Não Foi Acidente ! - Você vai tomar consciência ou mais um drink ?

 
No dia 17/09/2011, eu, Rafael Baltresca, perdi de uma só vez, minha mãe e irmã (Miriam A. J. Baltresca, 58 anos e Bruna Baltresca, 28 anos), em um acidente de trânsito. Não foi um acidente qualquer. O atropelador estava alcoolizado, trafegava em velocidade superior a 140 km/h e se recusou a fazer o teste do bafômetro. O assassino já está em casa e nem fiança teve que pagar.

Depois deste acontecim
ento, cansei de contar os casos de acidentes fatais envolvendo álcool e direção, atingindo outras famílias. Segundo pesquisas, são mais 3.000 mortes por mês em incidentes de transportes. Dessas 3.000, 40% fica por conta de embriaguez ao volante.

Cansado de ver tantas e tantas mortes, iniciei no dia 15/10/2011 a campanha “Não Foi Acidente” para coletar assinaturas para o projeto de lei de iniciativa popular objetivando alterar a legislação de trânsito brasileira, que hoje é tão branda para os que bebem, dirigem e matam. O projeto cresceu e, em menos de 3 meses de trabalho, juntamos quase 200.000 assinaturas e muita gente do bem.

Somente com a mobilização intensa da população, mudaremos algo, pois, é nítido o descaso das autoridades quando o assunto é embriaguez ao volante.
 
INFELIZMENTE É FATO
 
Nosso governo gasta R$ 8 bi/ano em uma guerra que enfrentamos diariamente no Brasil: as imprudências no trânsito. São cerca de 40 mil vítimas de acidentes de transporte por ano. Dessas, 40% são decorrentes do álcool na direção. É também a principal causa morte de crianças de 1 a 14 anos em nosso país.
Rafael Baltresca teve a mãe e a irmã mortas no dia 17/09/11, vítimas de um atropelamento por um carro em alta velocidade, em São Paulo. O atropelador, Marcos Alexandre Martins, se recusou a fazer o exame do bafômetro, mas fez exame de sangue. No B.O., testemunhas afirmam que Marcos estava completamente embriagado. Frente a esta situação e à realidade que o Brasil enfrenta, Rafael Baltresca criou o movimento Não Foi Acidente, com o objetivo de mudar as leis brasileiras que abrem tantas portas para a impunidade.
 
COMO FUNCIONA A LEI HOJE?
 
De acordo com os últimos casos, hoje, a pessoa que bebe, dirige e mata, é indiciada por homicídio culposo (sem intenção de matar). Neste caso, se o atropelador for réu primário, pode pegar de dois a quatro anos de prisão. A habilitação pode ser suspensa por um ano. Na prática, segundo a Constituição brasileira, até 4 anos de prisão a pena pode ser convertida em serviços para a comunidade. Em outras palavras, nada acontece para quem mata no trânsito brasileiro.
Vivemos uma farsa. A chamada Lei Seca de nada adianta, pois, não é possível provar se o motorista estava bêbado se não realizar o exame do bafômetro e/ou exame de sangue. E ele pode se negar a fazer estes exames.
 
O QUE QUEREMOS?
 
Mudar nossas leis de trânsito, as quais têm tantas brechas e são tão permissivas no Brasil.
O movimento Não Foi Acidente lutará sempre por mais educação de trânsito e campanhas de conscientização, porém, sabemos que se as leis continuarem tão fracas como estão, esta “guerra civil” em que vivemos não acabará tão cedo.

PONTOS IMPORTANTES EM NOSSO PROJETO DE LEI:
  • O exame de sangue (ou bafômetro) não seria mais necessário, pois, com a análise clínica de um médico legista ou de alguém que tenha fé pública já poderia ser aferido a embriaguez. Neste caso, o condutor poderia usar o bafômetro a seu favor, se interessado;
  • O crime de trânsito continuaria como homicídio culposo, porém, a pena seria aumentada caso fosse provada a embriaguez do motorista (de 5 a 9 anos de reclusão);
  • Mesmo que não houver homicídio a pena seria aumentada quando provado a embriaguez do condutor do veículo.

 
PARCEIROS:
 
Parceiros que apoiam o Movimento Não Foi Acidente e querem um Brasil melhor; com mais valorização da vida, mais justiça e menos mortes no trânsito.
 
Ana Maria Braga – http://maisvoce.globo.com/
Ananke – http://www.ananke.com.br
Associação Paulista de Medicina (APM) – http://www.apm.org.br
Auto Escola Signos – www.autoescolasignos.com
Comissão de Sistema Viário e Trânsito da OAB/SP – http://www.oabsp.org.br
Companheirismo Jaraguaense – http://www.facebook.com/naofoiacidentejgs
Colégio Real – http://www.colegioreal.net/
CQC – http://cqc.band.com.br
E.U.V.I. – Emily . União de Vítimas da Impunidade – http://www.grupoeuvi.com.br
É bom ser do bem – http://www.ebomserdobem.com.br
evoHost – Hospedagem de sites e registro de domínios – http://www.evohost.com.br
Gabriela sou da Paz – http://www.gabrielasoudapaz.org
Girando Mídia – www.girandomidia.com.br
Gregório Renan por justiça – http://www.giorgiorenanporjustica.org/
Kennel Veterinária – www.kennelveterinaria.com
Líquido Biquines – http://www.biquine.com
Live Web – www.liveweb.com.br
Markable Assessoria de Imprensa – http://www.markable.com.br
Motor Clube - http://www.motorclube.com.br
Maurício Januzzi Adv. – http://www.januzzi.adv.br
ONG Emily – Uma Paixão Pela Vida – http://www.umapaixaopelavida.com.br
Pizzaria Bennett’s – http://www.benetts.com.br
QS Comunicação – http://www.qscomunicacao.com.br
Sandra Domingues – http://sandradominguessp.blogspot.com.br/
Suporte PHBB – http://www.suportephpbb.com.br
Trânsito Ação – http://www.facebook.com/TAVIDAS
Tom social – http://www.tomsocial.com.br
VAHALI Seguros – http://www.vahaliseguros.com.br
Vitória Agito – http://www.vitoriaagito.net/


Para assinar a petição, clique aqui.

Maiores informações no site http://www.naofoiacidente.org/blog/

sexta-feira, 23 de novembro de 2012

Marketing & Idéias: Os 17 times brasileiros com a marca mais valiosa de 2012.


O Corinthians lidera o ranking das marcas mais valiosas entre os clubes de futebol brasileiros em 2012, de acordo com a BDO Brazil. O time ultrapassou o valor de marca do Flamengo em 2010, e desde então se mantém na primeira posição.

Conforme a empresa, o valor consolidado das 17 marcas mais valiosas neste ano foi de R$ 5,38 bilhões, 24% acima do que foi em 2011.


1. Corinthians

Valor em 2012 (R$): 1.005,5 bilhão
Valor em 2011 (R$): 867 milhões
Forças da marca
Torcida: 51%
Mercado: 22%
Receitas: 27%

2. Flamengo

Valor em 2012 (R$): 792 milhões
Valor em 2011 (R$): 689,5 milhões
Forças da marca
Torcida: 56%
Mercado: 17%
Receitas: 27%

3. São Paulo

Valor em 2012 (R$): 771 milhões
Valor em 2011 (R$): 664,2 milhões
Força da marca
Torcida: 47%
Mercado: 24%
Receitas: 29%

4. Palmeiras

Valor em 2012 (R$): 481,2 milhões
Valor em 2011 (R$): 452,9 milhões
Forças da marca
Torcida: 56%
Mercado: 17%
Receitas: 27%

5. Internacional

Valor em 2012 (R$): 392,9 milhões
Valor em 2011 (R$): 277,9 milhões
Forças da marca
Torcida: 33%
Mercado: 24%
Receitas: 43%

6. Santos

Valor em 2012 (R$): 341,6 milhões
Valor em 2011 (R$): 227,9 milhões
Forças da marca
Torcida: 34%
Mercado: 32%
Receitas: 34%

7. Vasco da Gama

Valor em 2012 (R$): 316,7 milhões
Valor em 2011 (R$): 224,6 milhões
Forças da marca
Torcida: 45%
Mercado: 25%
Receitas: 30%

8. Grêmio

Valor em 2012 (R$): 316,1 milhões
Valor em 2011 (R$): 162,5 milhões
Forças da marca
Torcida: 34%
Mercado: 25%
Receitas: 41%

9. Cruzeiro

Valor em 2012 (R$): 205 milhões
Valor em 2011 (R$): 151,3 milhões
Forças da marca
Torcida: 35%
Mercado: 27%
Receitas: 38%

10. Atlético Mineiro

Valor em 2012 (R$): 179,1 milhões
Valor em 2011 (R$): 150,5 milhões
Forças da marca
Torcida: 45%
Mercado: 22%
Receitas: 33%

11. Fluminense

Valor em 2012 (R$): 157,4 milhões
Valor em 2011 (R$): 135,7 milhões
Forças da marca
Torcida: 43%
Mercado: 32%
Receitas: 25%

12. Botafogo

Valor em 2012 (R$): 112,6 milhões
Valor em 2011 (R$): 90,7 milhões
Forças da marca
Torcida: 40%
Mercado: 36%
Receitas: 24%

13. Atlético Paranaense

Valor em 2012 (R$): 86,9 milhões
Valor em 2011 (R$): 75,6 milhões
Forças da marca
Torcida: 45%
Mercado: 20%
Receitas: 35%

14. Coritiba

Valor em 2012 (R$): 83,3 milhões
Valor em 2011 (R$): 54,1 milhões
Forças da marca
Torcida: 48%
Mercado: 19%
Receitas: 33%

15. Bahia

Valor em 2012 (R$): 55 milhões
Valor em 2011 (R$): 40,8 milhões
Forças da marca
Torcida: 59%
Mercado: 15%
Receitas: 26%

 16. Vitória

Valor em 2012 (R$): 42,3 milhões
Valor em 2011 (R$): 39,3 milhões
Forças da marca
Torcida: 50%
Mercado: 19%
Receitas: 31%

 17. Sport

Valor em 2012 (R$): 41,9 milhões
Valor em 2011 (R$): 28,5 milhões
Forças da marca
Torcida: 56%
Mercado: 19%
Receitas: 25%



Fonte: www.exame.abril.com.br






















Marketing & Idéias: Supermercado de Londrina recebe primeiro autocaixa do Brasil.

A loja do Grupo Muffato, é a primeira a receber o equipamento que permite que o consumidor passe e pague a compra sozinho. O serviço já funciona em estabelecimentos da Europa e Estados Unidos.

O cliente escolhe os produtos que precisa, vai até o caixa, pesa, passa os códigos de barra no leitor, ensaca e paga com cartão de débito ou crédito. Tudo sozinho, sem precisar interagir com ninguém. Essa é a novidade que o Grupo Muffato está implantando no supermercado da Avenida Madre Leônia Milito, em Londrina, no estado do Paraná.

O serviço, lançado nesta quarta-feira (21) – chamado pela empresa de autocaixa – já está disponível para os consumidores. É a primeira loja do Brasil a receber o self checkout, um serviço que já existe em vários países da Europa e nos Estados Unidos. Usar o autocaixa é simples e mais fácil que usar um caixa eletrônico. A própria máquina orienta os consumidores no passo a passo. Funcionários do supermercado auxiliam e fiscalizam o processo, incluindo a venda de bebidas alcoólicas, que é proibida para menores de 18 anos.

Conforme o diretor do grupo, Everton Muffato, a receptividade do serviço está ótima. “A ideia é reduzir o tempo de fila e agilizar o serviço. E, pelos nossos testes, nossos clientes, dos 15 aos 75 anos, gostaram da agilidade que o equipamento proporciona”, conta. Hoje, de acordo com ele, a maioria da população está ansiosa por novas tecnologias que facilitem o dia a dia. “Essa nova geração, usuária de tablets e smartphones, está ávida por facilidades tecnológicas”, afirma.

Segundo o diretor, o grupo – em parceria com a empresa RMS Software, que trouxe o equipamento da Europa - está “tropicalizando” a tecnologia há dois anos. “Tivemos que fazer muitas adaptações para que as máquinas ficassem fáceis de usar e que trabalhasse com o sistema tributário brasileiro, que é bem mais complexo que o europeu”, explica. O resultado, de acordo com ele, é uma mescla de tecnologias nacionais e estrangeiras. “Talvez por causa dessa dificuldade toda, somos os primeiros a implantar o serviço por aqui”, diz.


Fonte: www.gazetadopovo.com.br














segunda-feira, 19 de novembro de 2012

Marketing & Idéias: Até que ponto a falta de atenção no PDV pode comprometer uma marca?

Sempre acreditei que observar as pequenas lições do mercado nos trazem excelentes aprendizados, tanto nos bons exemplos, como também nos erros grosseiros cometidos pelos pseudoprofissionais.

Procuro sempre estar atento a estas lições do dia a dia, pois na minha modesta opinião o marketing não se resume apenas em estratégias avançadas produzidas entre quatro paredes. Pode-se aprender muito com pessoas que não detém um nível acadêmico ou profissional esperado dentro da área de marketing, mas por outro lado possuem um conhecimento profundo da área onde atuam e com certeza conhecem seus produtos e seus clientes como poucos. Estou falando dos empreendedores do marketing que conseguem nos passar lições e informações valiosas, sem esse tal conhecimento acadêmico, contando apenas com sua intuição e experiência no ramo.

Então eu me pergunto como pessoas citadas acima nos dão verdadeiras aulas de marketing, enquanto profissionais, ditos preparados e com grandes contas publicitárias conseguem cometer erros gravíssimos e mostrando total falta de atenção e comprometimento com os seus clientes, resultando em perda de faturamento e até muitas vezes no comprometimento da marca.

Só como exemplo vou narrar um fato que pude testemunhar nessas minhas pequenas lições de observações do mercado.

Pois bem, num desses sábado à tarde como de costume fui até o supermercado mais próximo de minha residência para as compras da semana. Como se tratava de fim ano, já da pra imaginar a quantidade de pessoas que ali se encontravam. Donas de casa, crianças, jovens, namorados e chefes de família aguardavam sua vez na fila do caixa, que por consequência da data, não era pequena. Foi quando notei uma moça muito bonita, que percebi de imediato que trabalhava em um ponto de vendas dentro do supermercado. A mesma trajava uma roupa específica para a sua função, ou seja, roupa sóbria e com as cores e a logomarca da empresa a qual ela representava, uma marca de whisky muito conhecida no mercado.

A bela funcionária encontrava-se simplesmente encostada num canto do supermercado conversando com algumas funcionárias do próprio estabelecimento, de braços cruzados e a cerca de 500m dali o ponto de vendas onde a mesma trabalhava encontrava-se vazio, porém dava nitidamente pra perceber que o pobre coitado estava abandonado, pelo menos nos 30 minutos que permaneci na fila pude observar este comportamento por parte desta nobre “profissional”.

Com esta pequena cena que me chamou a atenção, pude então tirar algumas conclusões:

1. Na prateleira do supermercado e bem atrás do seu balcão do PDV, encontravam-se várias garrafas de whisky do fabricante ou seja, não faltava produto para demonstração.

2. A total falta de preparo e comprometimento da funcionária em relação ao seu trabalho, e consequentemente o descaso com a marca em questão.

3. A perda de oportunidade nas vendas, uma vez que se tratava de um sábado à tarde, em período natalino e com grande concentração de adultos as chances nas vendas seriam grandes.

4. O ponto de vendas e suas ações é a última escala de uma campanha de marketing entre produto e consumidor e neste momento nada pode dar errado ou manchar a marca desta empresa.

Bem, mas ao final deste relato alguém pode se perguntar: A funcionária errou e era despreparada. Sim, errou e errou feio, mas em minha opinião o maior responsável por este desastre não é a jovem em questão, mas o seu gestor, o grande profissional de marketing que julgo ter muitos anos de faculdade, e vários diplomas em sua sala, até porque trabalhar em uma grande indústria de bebidas com um nome tão respeitável no mercado, no mínimo este gestor precisará de vários anos de estudo. Mas nem com 5 ou 10 anos de aprendizado ou planejamento irão livrar um profissional de um erro como esse, se esta mesma ação não tiver um engajamento de todos os envolvidos, se não houver um treinamento adequado e principalmente um acompanhamento deste gestor nestas ações de PDV. Largar um profissional em uma ação de fim de semana sem um monitoramento e acompanhamento na minha concepção, trata-se de incompetência e negligência deste gestor.

No momento em que essa profissional encontra-se representando a empresa nesta ação, a sua postura e comportamento devem ser rigorosamente profissional e se caso, por algum motivo a ação tenha terminado, ou a mesma esteja aguardando a chegada de novos produtos para a retomada de sua função, em hipótese alguma ela deveria permanecer no local trajando a sua roupa de trabalho e próximo ao ponto de vendas passando esta imagem de que não estava nem aí para a sua função. O desfecho disso tudo infelizmente não pude acompanhar, pois chegando a minha vez no caixa, paguei minhas compras e fui embora. Se eu fosse um apreciador de um bom whisky, aquela marca com certeza eu não levaria, até mesmo porque não havia ninguém no ponto de vendas para me apresentar à mesma.

Muitas vezes vemos ações de marketing muito bem produzidas, com grandes gastos na verba publicitária, mas com apenas um detalhe equivocado, pode levar toda a campanha por água abaixo. Atenção aos detalhes, monitoramento e engajamento de todos os envolvidos em ações de marketing também são requisitos fundamentais para uma campanha de sucesso.


Luiz Fernando Madalozo



quinta-feira, 1 de novembro de 2012

Marketing & Idéias: Conheça as Maiores Inovações do Ano no Mercado Promocional.



Prêmio Brazil Promotion Idea 2012

Para estimular o lançamento de produtos e serviços inovadores durante a feira Brazil Promotion, a Forma Editora elege os expositores que apresentaram as principais novidades do ano no setor promocional.

O Prêmio Brazil Promotion Idea reconhece as principais inovações da Brazil Promotion 2012, expostas no Showroom de Ideias, mediante eleição do público visitante e de um júri especializado.

 


Confira no link a relação completa de ganhadores.


Fonte: www.brazilpromotion.com.br

quinta-feira, 18 de outubro de 2012

Marketing & Idéias: SBT lança segunda edição do Prêmio "O Melhor Comercial do Brasil".


O SBT lança a segunda edição do Prêmio O Melhor Comercial do Brasil e reforça a estratégia de se aproximar do mercado publicitário.

Agências de propaganda e anunciantes que veicularem seus comerciais no SBT até o dia 31 de dezembro deste ano, segundo o regulamento, concorrerão a uma viagem com tudo pago para participar, em grande estilo, do maior e mais relevante evento da propaganda mundial, o Cannes Lions, a ser realizado em junho de 2013, na França.

No ano passado, foram selecionados 30 comerciais. Na etapa seguinte, um júri composto por grandes nomes da publicidade escolheu os dez melhores. Na votação final, o filme "Pôneis Malditos", da agência Lew Lara/TBWA para a Nissan do Brasil, foi o escolhido pelos jurados para receber a premiação. Os profissionais Cesar Herszkowicz e Carlos Murilo Moreno, responsáveis pela criação e aprovação do comercial, respectivamente, foram contemplados com passagem aérea, estadia e inscrição no festival.

AlmapBBDO, Ogilvy, F/Nazca e Leo Burnett Tailor Made estavam entre as finalistas. Nesta nova edição, faltam menos de 90 dias para veicular o comercial na emissora e concorrer ao prêmio. "A expectativa é que o número de comerciais na disputa seja ainda maior", afirma o diretor Comercial e de Marketing do SBT, Glen Valente. Ele destaca que esta é uma iniciativa do SBT que une talentos, mostra importância da publicidade brasileira e a força da TV aberta no Brasil para as marcas. A votação final e o anúncio do vencedor acontecerão no ano que vem, em São Paulo. O SBT também fará a cobertura da participação brasileira no festival.


Fonte: www.cidademarketing.com.br





quarta-feira, 17 de outubro de 2012

Marketing & Idéias: 17 de Outubro - Dia do Profissional de Propaganda.


Parabéns a todos os meus colegas de profissão, publicitários, mercadólogos e profissionais de marketing e também a todos os profissionais de propaganda deste país, que através de idéias criativas conseguem se comunicar com seus clientes e consumidores de forma positiva e eficaz.

"Uma idéia na cabeça e um produto no mercado ..."


Luiz Fernando Madalozo

segunda-feira, 15 de outubro de 2012

Marketing & Idéias: Curso para Gestão de Carreira e Empreendedorismo para Profissionais de Saúde.



EDUC AÇÃO
Desenvolvimento Pessoal

EDNALDO AMORIM é educador acadêmico e corporativo. Especialista em treinamentos, cursos, workshops e palestras sobre comportamento humano e organizacional. Doutorando em Psicanálise na Educação e Saúde. Professor da Faculdade NOVA ROMA / FGV - Fundação Getúlio Vargas. CEDEPE Business School / KM Business Education & Consultores Associados,UNIDERC FUNESO.


Não podia divulgar esta palestra sem falar do nosso mestre, o professor Ednaldo Amorim. Tivemos a oportunidade e o prazer de tê-lo no Curso de Agenciadores Multimídia no ano de 2011 e percebemos o seu comprometimento com a educação e a sua paixão em transmitir todo o seu conhecimento com os seus alunos. A sua capacidade de transformar uma aula em um grande evento é uma de suas características onde o mais introspectivo dos alunos consegue participar, debater e principalmente tirar grandes lições. As aulas ministradas pelo professor Ednaldo Amorim com certeza são únicas e diferenciadas. Tenho muito orgulho de ter sido seu aluno e poder ter compartilhado de seus ensinamentos.

Luiz Fernando Madalozo

 


quinta-feira, 11 de outubro de 2012

Marketing & Idéias foi escolhido pelo jurí popular (internautas), entre os 100 melhores blogs na categoria comunicação e marketing pelo Top Blog 2012.



Agradeço a todos os meus amigos leitores pela votação no blog Marketing & Idéias no qual foi escolhido pelo jurí popular (internautas), entre os 100 melhores blogs na categoria comunicação e marketing pelo Top Blog 2012. Já estamos no 2º turno dessa votação e para chegarmos entre os três primeiros colocados precisamos novamente do seu voto.

Para votar é só acessar o selo no lado direito do blog: Top Blog 100. 


O blog Marketing & Idéias é feito para vocês, e se estamos entre os 100 melhores na categoria é graças aos nossos leitores.

Luiz Fernando Madalozo



segunda-feira, 24 de setembro de 2012

Marketing & Idéias: Contagem regressiva para o 2º Encontro de Profissionais de Marketing Digital / PE.


No dia 25 de setembro, às 18h30, no Hotel Jangadeiro, ocorrerá o II Encontro de Profissionais de Marketing Digital PE com o tema “Mídias Digitais e o Grande Desafio: Estratégias x Resultados”, uma realização da PSIU Produções e o Quartel Digital. O I Encontro de Profissionais de Marketing Digital de Pernambuco, reuniu mais de 450 profissionais e ficou em primeiro lugar nos TT’s com mais de 7 mil menções nas redes sociais.

Está segunda edição do evento contará com palestrantes de vários estados, como, Camila Porto (Curitiba-PR) – fundadora do blog .com/teúdo, André Damasceno (Vitória -ES) – fundador do Grupo O melhor do Marketing e a pernambucana Socorro Macedo – Diretora Executiva da Lefil, abordando temas acerca dos avanços do mercado de marketing em mídias digitais.

Além das palestras mencionadas acima, será realizado um debate com a presença de Ney Lins (Sócio-Diretor da PSIU Produções e Consultor de Mídias Digitais da Agenciada) e Rafael Galdino (Sócio-Diretor do Quartel Digital). O público poderá participar durante todo o evento, enviando perguntas para a mesa via twitter com a hashtag do evento (#mktdigitalpe). O Hotel Jangadeiro fica na Av. Boa Viagem, 3114, Boa Viagem – Recife/PE e as vagas para o evento são limitadas e custam R$ 60,00


Fonte: www.agendadorecife.com.br



terça-feira, 11 de setembro de 2012

Marketing & Idéias: Feira Livre: Lições que o Varejo Moderno Teima em Não Aprender.


* Por Clayton Cunha

Em todo começo de semestre quando recebo novas turmas em cursos de Marketing e Gestão Comercial, faço uma questão direta e bem clara: “Alguém aqui está fazendo Marketing com a esperança de ficar sentado atrás de uma mesa?”. Quando alguém ameaça dizer que sim respondo direto e principalmente com sinceridade: “É melhor você rever os seus conceitos”.

Digo isso pois todas as vezes que simplesmente saio para dar uma volta para observar as coisas e como o mercado se comporta na vida real acabo aprendendo… e muito! Por mais que utilizemos esse espaço para discutirmos as tendências de Marketing e como ele deveria ser feito de forma teórica e prática, uma simples visita a uma feira livre pode nos ensinar muito…. É um retorno ao básico, trata-se do retorno de profissionais de Marketing ao que deveria ser considerado o básico do Marketing.

Justificarei o meu discurso acima compartilhando com você, caro leitor, uma experiência que tive nessa última semana, a primeira semana de setembro de 2012. Nessa semana em um dos poucos intervalos que tive, fui convidado a almoçar em uma feira livre do bairro do Tatuapé em São Paulo. Um almoço em uma feira livre por aqui, significa comer o pastel com caldo de cana (garapa em vários lugares do Brasil). Quando adentramos a essa feira livre, percebi uma coisa que me chamou muita atenção… um desenho de um morango feito na rua e uma seta indicando um sentido a ser seguido. Isso me chamou a atenção pela forma artística e bem feita de que fora desenhando naquele asfalto surrado. Nesse momento fiquei muito curioso em saber o que isso significava. Mais alguns passos na feira e mais uma seta com o mesmo desenho indicando uma nova direção a seguir. Mais alguns passos e uma nova seta. No fim da “caminhada”, depois de pelo menos 6 setas, vejo-me em um dos cantos mais remotos e desprestigiados da feira e enxergo uma faixa pendurada com o mesmo morango do asfalto, porém impresso em um tamanho bem maior.

O fato mais inusitado foi perceber que naquele canto esquecido, havia uma concentração muito grande de pessoas, esperando pacientemente sua vez em uma fila incrivelmente organizada. Acabei por observar aquele movimento por alguns minutos e percebi que a quantidade de pessoas não ficava menor. O índice de rotatividade de clientes era enorme. Tal curiosidade fez com que conhecesse o “Seu Carlos”, como é mais conhecido.

“Seu Carlos” é um senhor simples que com uma Kombi repleta de morangos me deu uma das lições mais importantes dos últimos anos: “Devemos visitar mais as feiras livres”.

Nessa época, em qualquer feira livre, encontramos vários feirantes oferecendo morangos de diversos tamanhos e diversos preços. Essa guerra de preços faz com que os clientes pechinchem mais e principalmente os próprios feirantes comprometam suas margens com o passar das horas e o fim da feira chegando (qualquer semelhança com o varejo “moderno” em fim de mês com metas a atingir, não é mera coincidência). Porém “Seu Carlos” com sua ação promocional ou ação de trade (em certo momento ele me perguntou “Ação de que Clayton?”), faz com que os clientes cheguem até sua posição não privilegiada, esperem por pelo menos 5 minutos em uma fila e mesmo assim o preço da caixa de morangos com 12 unidades de tamanho médio ou grande é de R$ 10,00. Detalhe o preço é o mesmo das 7:30h às 13:00h horário em que a feira acaba aqui em São Paulo, por imposição da prefeitura.

“Vendo a R$ 10,00 aqui na “zelê” (gíria de zona leste de SP), porque na feira de quinta-feira em Aldeia da Serra, vendo a R$ 15,00”, diz “Seu Carlos” em dado momento.

Confesso que fiquei boquiaberto com essa informação. Acabei por começar a analisar a Kombi de “Seu Carlos”. Deparei-me com uma coisa bem diferente do normal em uma feira livre, onde nas portas da Kombi abertas com várias fotos da lavoura de onde o Morango vem, bem como, uma placa com o seguinte recado: “Trabalhamos com morangos selecionados em bem plantados e bem tratados. Se você quer um Morango qualquer, aqui não é o seu lugar”. Essa frase que considero uma afronta a qualquer teoria e prática moderna de comunicação e de Trade Marketing é levada com muito bom humor por todos os que frequentam o lugar, inclusive as pessoas novas que assim como eu, foram atraídas pelos desenhos no asfalto.

O atendimento é excelente, “Seu Carlos”, rotula seus morangos com o dia e o horário em que o lote de morangos foi colhido e acrescenta um pequeno bate-papo com o cliente que chega, mesmo que seja a primeira vez em que aquele cliente compra. “Achou difícil me encontrar aqui?” é a sua frase mais comum.

Num mundo em que estudamos todas as teorias e práticas de Marketing incansavelmente, onde os mantras do varejo são entoados nos 4 cantos do mundo, onde a localização do PDV é importante, a disposição dos produtos em gôndolas é estudada com afinco, onde ficamos bolando estratégias de trade Marketing e promoções diversas para vendermos no varejo “moderno”, encontro “Seu Carlos”, vendendo seus Morangos com diferença de até 300% em relação aos morangos da concorrência, sem trocar os preços de seu produto independentemente do horário, com um esquema de comunicação extremamente simples, mas eficaz, e que mesmo assim vende 450 caixas de morango diariamente…

Muitas vezes não precisamos de nada suntuoso para chamar a atenção dos clientes. Muitas vezes uma simples visita a uma feira livre faz com que aprendamos lições extremamente importantes em que a simplicidade de ações é muito mais eficaz de grandes campanhas “boladas” muitas vezes por “gênios” que simplesmente não aceitam sair de trás de suas maravilhosas mesas dentro dos escritórios com ar-condicionado. Infelizmente, muitos de nossos colegas ainda teimam em não aprender o que uma simples feira livre nos ensina… diariamente…

E você? Acha mesmo que em Marketing ficaremos atrás de uma mesa?

Abraços a todos e até a próxima!

* Clayton Cunha é formado em Administração de Empresas com Análise de Sistemas, e é pós graduado em Marketing pela Universidade Mackenzie. Atuou na área de Marketing em Bancos e empresas de Telecomunicações desenvolvendo estudos de Comportamento do Consumidor, bem como, atuando nas áreas de inteligência de mercado e principalmente marketing de relacionamento, marketing direto e CRM. Atualmente é professor dos cursos de Marketing, Gestão Comercial, Logística e Gestão da Qualidade da Universidade Cidade de São Paulo (UNICID), e consultor de empresas.



Fonte: www.implantandomarketing.com


Não pude deixar de publicar este excelente artigo. Parabéns Clayton Cunha. Principalmente por não ser um artigo rebuscado e repleto de teorias, mas sim por ser um artigo com um toque de depoimento, e marketing é isso mesmo, é perceber uma lição em cada momento da vida. Feliz do profissional de marketing que tenha esta visão de procurar lições a todo o momento e onde menos se espera. Se estes profissionais a que ele se refere tivessem esta preocupação, talvez não tivéssemos tantas propagandas ruins na televisão. Estamos na era da publicidade Mais do Mesmo, onde certos profissionais preferem não arriscar. Copiar e não inovar é a ordem do dia para eles. Como menciona o autor, quem sabe se estes profissionais saíssem um pouco de suas salas e deixassem um pouco suas mesas suntuosas e fizessem uma visitinha a uma feira livre ou prestassem mais atenção ao detalhes da vida e neste empreendedores de marketing que não possuem nenhum conhecimento acadêmico mas possuem  muitos conhecimentos práticos e tem muito a nos ensinar, quem sabe suas cabeças criativas não pudessem produzir conteúdos publicitários bem melhor não é mesmo ? 

Luiz Fernando Madalozo



domingo, 9 de setembro de 2012

Marketing & Idéias: Publicidade será tema no carnaval de 2013.


Gaviões da Fiel contará história da publicidade. Enredo de 2013 “Ser Fiel é Alma do Negócio” terá homenagem à personalidades do mercado.

Depois da participação de Roberto Justus no desfile da Rosas de Ouro em 2012, o mercado publicitário deve marcar presença ainda mais forte no Carnaval de São Paulo do ano que vem. A Gaviões da Fiel levará à avenida o enredo Ser Fiel é Alma do Negócio, uma homenagem à história recente da publicidade brasileira. Ao menos dois grandes nomes do mercado já foram convidados para o desfile: Nizan Guanazes, chairman do Grupo ABC, e Washington Olivetto, chairman da WMcCann e CCO da McCann Worldgroup para América Latina.

O desenvolvimento do enredo está a cargo do carnavalesco Max Lopes, recém-contratado pela agremiação, e o samba-enredo será escolhido em 28 de setembro.


Fonte: www.meioemensagem.com.br


segunda-feira, 3 de setembro de 2012

Marketing & Idéias: 4 mitos sobre o cérebro na publicidade.

A dificuldade de saber exatamente o que funciona nos anúncios publicitários dá espaço à disseminação de mitos, que embora aceitos e aplicados pelos profissionais de propaganda mais experientes, não se justificam diante das pesquisas em neuromarketing.

Apesar dos recursos técnicos e estratégicos cada vez mais presentes na publicidade, ainda é difícil mensurar os resultados de uma campanha. Seu sucesso reside em fatores bastante subjetivos como a retenção da marca e o seu posicionamento, a argumentação e até mesmo o efeito nas vendas, que apesar do caráter objetivo, tende a resultar de uma composição de vários fatores e não somente daquela última propaganda veiculada.

A dificuldade de saber exatamente o que funciona nos anúncios dá espaço à disseminação de mitos, que embora aceitos e aplicados pelos profissionais de propaganda mais experientes, não se justificam diante das pesquisas em neuromarketing, responsáveis por avaliar o comportamento do cérebro – e por consequência, das pessoas – diante das campanhas publicitárias.

Mito 1) Sexo vende

É verdade que as imagens sensuais atraem a atenção das pessoas, graças a uma região do cérebro chamada de amídalas (não, não são aquelas da garganta). Talvez por isso ainda perdure o mito de que "as propagandas com conteúdo sexual são as mais eficientes". Na prática, essa atenção é direcionada ao componente erótico da imagem, deixando de lado aspectos mais importantes como o produto em si ou a sua marca, reduzindo em cerca de 50% o índice de retenção do público consumidor. Ou seja, é mais fácil lembrar-se do produto anunciado em propagandas livres de conteúdo sexual.

Mito 2) Fazer merchandise em programas de TV é sempre um bom negócio

A oportunidade de apresentar um produto em meio à rotina de um programa de televisão parece ser uma aposta certeira, afinal, os telespectadores já estariam naturalmente interessados pelo conteúdo, bastando que a marca aparecesse para ser lembrada. Na prática não é tão simples assim. Apesar dos milhões investidos nesse tipo de propaganda, ela tende gerar uma lembrança muito pequena em seu público consumidor, que por vezes chega até mesmo a confundir com marcas concorrentes, quando questionado.

Para que a ação de merchandise seja bem sucedida é necessário que haja um envolvimento emocional constante entre a marca e a narrativa do programa, caso contrário, ela se torna um mero barulho, facilmente esquecido.

Mito 3) Imagens trágicas desestimulam comportamentos

Combater o tabagismo é uma obrigação política na maioria dos países. Faz sentido, já que essa é a terceira maior causa de mortes evitáveis no mundo. O problema é a estratégia. Vamos pegar o caso das figuras tenebrosas estampadas nas embalagens de cigarro. Ao questionar um fumante sobre a sua vontade de fumar depois de ver essas imagens, ele deverá se declarar menos motivado, afinal, essa parece ser a resposta certa. No entanto, as fotos estimulam uma região do cérebro que lida ao mesmo tempo com a estimativa de riscos e a construção de desejos: o chamado núcleo accumbens, quando exposto a tal circunstância, tende a estimular a vontade de fumar, ao invés de inibir.

Mito 4) Estatísticas são os melhores argumentos

Você já percebeu como o sofrimento de uma única pessoa pode ser mais comovente do que o massacre de centenas delas? A aparente incoerência não é culpa da mídia, mas sim da forma como o cérebro adquire as informações. O primeiro caso gera imagens e sentimentos, o segundo apresenta estatísticas. Prevalece aquele que consegue ser mais facilmente visualizado, dando pontos ao caso da "garotinha desaparecida em meio aos escombros" em detrimento aos "mais de 300 civis mortos no ataque". A publicidade que se apoia sobre números ou dados técnicos tende a ser sempre mais frágil do que aquela capaz de transmitir emoções, contrariando o mito de que conceitos objetivos (apolíneos) são os mais eficientes.


Fonte: www.administradores.com.br




terça-feira, 28 de agosto de 2012

Marketing & Idéias: 9 atitudes que motivam os funcionários mais que dinheiro.

A jornalista Ilya Pozin, da revista Time, lista nove maneiras simples de motivar a equipe sem precisar recorrer a um aumento.

A habilidade de motivar uma equipe é uma das grandes qualidades de um empreendedor. É o que diz a jornalista Ilya Pozin na revista Time. Em seu artigo, ela lista nove maneiras de restaurar a liderança e criar uma equipe mais comprometida. No texto, é lembrado que um funcionário não é motivado apenas por dinheiro, mas também, entre outras coisas, por um ambiente de trabalho agradável, no qual o líder valoriza a opinião de cada um.

Conheça as dicas de Ilya Pozin:


1. Seja generoso na hora de elogiar

O elogio é algo que todos querem receber, além de ser fácil de dar. O reconhecimento de um CEO vai mais longe do que se imagina. Enalteça as contribuições que cada funcionário oferece e observe sua equipe se esforçar para receber ainda mais.

2. Livre-se dos gerentes

Remover a função do supervisor e passar esse "poder" ao time de funcionários cria um estímulo para que eles trabalhem melhor em equipe, já que eles não precisarão entregar relatórios de desempenho individuais. Além disso, as pessoas não sentirão que estão em níveis de importância diferentes dentro da empresa.

3. Faça das suas ideias as ideias deles

Em vez de distribuir ordens, que tal fazer com que os funcionários sintam como se eles estivessem dando ideias? Frases como: "Eu gostaria que você fizesse assim" se transformariam em "Você acha que é uma boa ideia se fizermos assim?".

4. Evite criticar ou corrigir

Ninguém gosta de saber que está errado. Se você está procurando um desmotivador, eis aqui ele. Tente uma abordagem indireta para estimular as pessoas, e lembre-se que as pessoas precisam aprender com os próprios erros.

5. Dê liderança aos funcionários

Destaque o funcionário que tiverem melhor desempenho e seus pontos fortes, faça dessa pessoa um exemplo para os outros. Levante a moral dela e lhe dê um pouco de liderança, que isso motivará os outros.

6. Leve seus funcionários para almoçar de surpresa

Em um dia aparentemente comum, leve seus funcionários para almoçar. É um pequeno gesto que fará com que eles saibam que você reconhece o trabalho e esforço deles.

7. Dê reconhecimento e pequenas recompensas

Além de elogiar o trabalho, tente recompensar a equipe e crie pequenos desafios internos. Crie metas e as coloque em um quadro onde todos possam ver. Aos que se destacarem, ofereça um jantar ou um presente.

8. Realize festas na companhia

Organize festinhas de aniversário, estimule um happy hour, não espere por datas especiais.

9. Divida o sucesso e os maus momentos

Quando a companhia estiver indo bem, celebre. Isto fará com que o funcionário saiba que você é grato pelo esforço dele. Mas quando existirem desapontamentos, divida-os também. Sua equipe merece transparência e honestidade.


Fonte: www.administradores.com.br





quinta-feira, 12 de julho de 2012

Marketing & Idéias: Os 7 elementos que formam uma marca.


Nome, logotipo, símbolo e mascote são alguns exemplos. Veja o que cada um significa e sua importância para o todo.

Quando olhamos para um logo da Coca-Cola, do símbolo da Nike, do ícone do Android ou até mesmo para o boneco gordinho da Michelin, às vezes esquecemos que aquilo representa uma organização. Na verdade, tudo isso são exemplos de elementos que compõem uma marca. Alguns autores já chegaram a listar até quarenta elementos que podem formar a identidade de uma. Eu elenco sete grandes e menciono aqui o que é cada um, para que servem e como enxergá-los com a sua devida importância.

Nome

Você já reparou que toda santa marca tem um nome? Claro! O nome é o principal elemento que identifica uma marca, seja ela qual for: Danone, Guaraná Jesus, Casas Bahia, Pampers, Facebook, entre outras milhares. Muito mais do que simplesmente identificar e comunicar o que representa, o nome da marca na contemporaneidade deve ter sonoridade, ser bonito de ver, de escrever, de digitar e gostoso de pronunciar, como é o caso de Häagen Dazs, uma marca de sorvetes de Nova York e que não significa nada. Já BlackBerry quer dizer amora em inglês e não tem nada a ver com celular, mas é gostoso de falar, ouvir e ler.

Logotipo

É a forma como se escreve ou a tipologia que se usa para escrever o nome da marca. E a escolha da fonte deve obedecer à essência de sua marca, ou seja, uma fonte mais chapada como Brastemp ou uma fonte e variações de cores que a Google usa, ou então algo mais caligráfico e rebuscado como é o caso da Coca-Cola. O fato é: dependendo da tipologia adotada, a percepção da marca pelo consumidor pode ser mais distinta do que se imagina. Vale a pena perder um pouco de tempo com isso.

Símbolo

É a imagem ou figura que representa sua marca. É a parte que pode ser identificada, mas não falada pelo consumidor. Como exemplo, temos a maçã da Apple, ou o swoosh da Nike, ou o jacaré da Lacoste, ou então o ninho de passarinhos da Nestlé. E por que quase todas as marcas que conhecemos sempre elegem um símbolo para se identificar e se comunicar conosco? Simplesmente pelo motivo de que nosso cérebro memoriza melhor imagem do que palavra. Pode ser mesmo uma questão de psicologia cognitiva, pois o ser humano reconhece e grava melhor um símbolo do que palavras. Apenas isso.

Mascote

É aquele ser que representa a sua marca, como, por exemplo, o Ronald McDonald's; o Assolino, da Assolan; os Minus, da Minuano, ou então os três personagens do Blue Man Group, que representam a marca TIM. E por que grandes marcas se utilizam desses seres, na maioria das vezes, um tanto quanto esquisitos? Por que essas criaturas carregam aspectos lúdicos, que se conectam conosco de forma ainda mais intensa. Assim como o símbolo da marca, criar uma mascote intensifica ainda mais o processo de memorização da marca por parte de seu público-alvo.

Embalagem

É a roupa da sua marca, é o invólucro que se elege para vestir um produto e sua marca. E quando falamos de embalagem, desde o material até o design escolhido, ela também carrega potentes elementos de identidade e diferenciação de uma marca.

Registro

Tão importante quanto selecionar nomes, símbolos, logotipos, mascotes e embalagem para sua marca, a sua proteção legal é uma etapa de fundamental importância. Criou um nome para sua marca? Vá ao site do INPI (Instituto Nacional de Propriedade Industrial) e consulte se há registros dos elementos que você criou.

Brand equity (valor de marca)

O autor Joel Axelrod definiu com perfeição o conceito de brand equity: "É a importância a mais que um consumidor paga para obter a sua marca preferida e não um produto parecido sem o nome de sua marca". Podemos dizer que a Diesel, por exemplo, tem um brand equity fantástico, pois quando alguém paga cerca de R$ 2 mil para ter uma calça jeans, a pessoa poderia comprar outra, fisicamente parecida, por módicos R$ 79,90. Dessa forma, todo esforço de branding que você imprime na sua marca deve visar ao aumento do brand equity do produto.


Fonte: www.administradores.com.br









quarta-feira, 11 de julho de 2012

Marketing & Idéias: Conheça os 9 produtos mais vendidos de todos os tempos.

Alguns produtos realmente caem no gosto dos consumidores. O site "Business Insider" publicou uma lista com os produtos mais vendidos de todos os tempos em diferentes categorias.

Entre os campeões de vendas estão a série Harry Potter, o brinquedo Cubo Mágico e o álbum "Thriller", do cantor Michael Jackson.

De acordo com a lista, na categoria jogos de videogame, o vencedor foi a franquia Mário Bros, lançada em 1981. Veja a lista com os produtos mais vendidos por categoria:


1. Livro: Harry Potter - 450 milhões de unidades vendidas

2. Brinquedo: Cubo Mágico - 350 milhões de unidades vendidas

3. Console de videogame: Playstation - 300 milhões de unidades vendidas

4. Jogo de videogame: Mário Bros - 262 milhões de unidades vendidas

5. Smartphone: Iphone - 250 milhões de unidades vendidas

6. Álbum: "Thriller" do cantor Michael Jackson - 110 milhões de unidades vendidas

7. Tablet: Ipad - 67 milhões de unidades vendidas

8. Carros: Toyota Corolla - 39 milhões de carros vendidos

9. Filmes: Star Wars - US$ 4,5 bilhões em faturamento com ingressos


Fonte:  economia.uol.com.br



Marketing & Idéias: Marcas centenárias usam saudosismo para atrair consumidores.


Numa época em que a oferta de produtos é grande e a concorrência é acirrada, uma série de empresas tem apostado no saudosismo para atrair os consumidores.

Granado, Aviação e Itubaína são algumas das marcas cujo principal diferencial está, justamente, em se manter semelhantes ao que foram no passado.

Fundada em 1870, a Granado passou, há cerca de cinco anos, por um forte processo de resgate da marca, focado justamente na manutenção de sua tradição. Os produtos, que eram vendidos basicamente em farmácias e supermercados, passaram a ocupar as prateleiras de lojas próprias, todas com arquitetura "retrô".

A linha foi ampliada e hoje conta com mais de 300 produtos, incluindo-se aí os de outra marca "vintage", a Phebo, que foi adquirida pela empresa. O talco Polvilho Antisséptico, da Granado, porém, que ajudou a fazer a história da marca, permanece como um dos itens mais vendidos.

A manteiga Aviação é outra marca brasileira que investe na própria tradição para atrair consumidores. Criado em 1920, o produto ainda hoje é oferecido nas tradicionais latas cor de laranja, desenvolvidas para manter a manteiga bem conservada, sem necessidade de refrigeração.

Com o passar do tempo e a chegada da possibilidade de refrigeração durante o transporte, o produto passou a ser oferecido também em embalagens plásticas. Doces de leite e achocolatados, entre outros produtos, também passaram a fazer parte do portfólio da marca.

A lata, porém, permanece à venda. "Para muitas pessoas, a lata é uma recordação de infância", diz Ana Luísa Resende Pimenta, diretora da Laticínios Aviação.

'Lembramos do passado como uma época melhor'

Desde 2010, o refrigerante Itubaína, da Schincariol, passou a ostentar no rótulo a palavra "retrô" para reforçar sua tradição. O produto existe desde 1954.

"O apelo retrô é, muitas vezes, a maneira que a marca tem para conseguir garantir um diferencial", diz o professor de gestão de marcas e marketing estratégico da ESPM, Marcos Bedendo.

Mesmo empresas que trabalham com alta tecnologia, como a fabricante de eletrodomésticos Whirlpool, estão ligadas nessa tendência. A empresa lançou nos últimos anos pelo menos três produtos da marca Brastemp com apelo "vintage" . Entre eles está um refrigerador com design típico dos anos 50, mas com tecnologia moderna.

O professor diz que essas marcas acabam reunindo dois atrativos. Um deles é a memória afetiva dos consumidores. "Sempre nos lembramos do passado como uma época melhor, e esses produtos nos trazem essa sensação de tranquilidade", diz.

Além disso, o consumidor, afirma Bedendo, está cada vez mais sendo atraído por produtos que aparentam "simplicidade". "Esse é um dos nichos de produtos que vêm se consolidando no mundo todo", diz. "Muitos consumidores vêm preferindo usar produtos mais antigos porque eles parecem teoricamente ser mais naturais."

Matéria indicada por Edson Valença


Fonte: economia.uol.com.br




Marketing & Idéias: 10 mandamentos de Philip Kotler.


Ninguém melhor para compilar os ensinamentos deixados por Philip Kotler no Special Management Program da HSM do que Jaime Troiano, presidente do Grupo Troiano de Branding e um dos maiores especialistas em marketing da atualidade. Foi ele quem comandou as wrap-up sessions do evento, que aconteceu nos dias 20 e 21 de junho, em São Paulo.

Na ocasião, brincando com o público, Troiano comentou que se sentia “obeso de tanta informação” e que o grande desafio para todos os profissionais que ali estavam seria colocar em prática tudo o que lhes fora transmitido. De fato, os dois dias foram repletos de conceitos, exposições de casos internacionais e respostas a questionamentos do público.

Para reforçar a apresentação do “pai do marketing”, que na mesma semana palestrou em Recife, confira alguns pontos importantes destacados pelo presidente do Grupo Troiano de Branding:

1º Mandamento

Precisamos entender que a comunicação integrada de marketing é fundamental e desafiadora. O Brasil ainda não tem grandes “maestros” que saibam integrar essa comunicação de fato.

2º Mandamento

O marketing é essencialmente uma conexão de pessoas com outras pessoas. Daí vem a força das marcas regionais, do mercado local. Cabe ao profissional de marketing tornar essas mensagens aplicáveis ao mercado nacional.

3º Mandamento

É importante entender que as marcas têm raízes, mas que é preciso preservar o essencial em busca do novo. Isso é inovação de marca.

4º Mandamento

Crie métricas para avaliar sua marca e invista na criação de modelos capazes de inovar. Faça periodicamente cálculos de valor da marca.

5º Mandamento

O importante para uma empresa não é o que ela faz ou o que ela vende e sim o porquê ela faz. O propósito é a razão de ser de uma empresa – engaja pessoas, alinha projetos e gera resultados.

6º Mandamento

Não existe possibilidade de construir qualquer marca forte se isso não começar dentro de sua empresa. Colaboradores devem estar convencidos do valor de sua marca, devem estar engajados e serem multiplicadores dessa valorização.

7º Mandamento

O consumidor não é tão simples quanto parece. Por isso, se preocupe em conhecê-lo cada vez mais e melhor. Se a sua empresa colabora para aumentar a autoestima do seu cliente, ele estará cada vez mais próximo de você.

8º Mandamento

Ao realizar uma pesquisa, despreze sempre a primeira resposta. Estimule a conversa. É importante falar com o consumidor sempre. E a tecnologia contribui para essa interação.

9º Mandamento

Empresas que olham para a classe C devem saber que ela é conservadora e tem características próprias. Crie produtos direcionados a esse público, ao invés de baratear os já existentes.

10º Mandamento

Crie uma plataforma de desenvolvimento de novos produtos sob a mesma marca. Associe-os à marca e, com isso, agregue valor.

* Jaime Troiano é presidente do Grupo Troiano de Branding e um dos maiores especialistas em marketing da atualidade.


Fonte: www.hsm.com.br





quarta-feira, 4 de julho de 2012

Marketing & Idéias: Conheça 7 embalagens bem criativas feitas para conquistar os consumidores.


Estratégia cada vez mais utilizada pelas empresas para chamar a atenção dos clientes.

 Uma das máximas do marketing atual relata que para conquistar o consumidor de verdade é preciso surpreendê-lo e levá-lo a uma experiência única na hora da compra de um produto. Uma forma que muitas empresas estão buscando isso é através da embalagem. Você leu certo... embalagem mesmo!
Através de criativas maneiras de envolver um produto ou empacotá-lo para o transporte, muitos empreendimentos estão atraindo novos consumidores para conhecerem o que há por dentro desses pacotes caprichados.

O site Administradores.com separou sete dessas embalagens que estão fazendo sucesso e ajudando empresas a chamarem positivamente a atenção.

Garrafas de sabor











As garrafas possuem texturas inspiradas nas frutas dos novos sabores de Smirnoff Caipiroska.

Jeans com estilo












Calças jeans, apesar de terem tonalidades diferentes, são sempre muito parecidas. Então, como impressionar um consumidor com esse produto. A empresa Lee encontrou uma forma para o seu produto Skinny Jeans

Embalagem Fios











Embalagem criativa da Rellana destinada para promover fios para costura

Embalagem para biscoito














O Cookies, made in japan, pode até espantar a primeira vista. Mas uma coisa é certo, ele atiça uma curiosidade no consumidor: "será que esse biscoito é bom?"

Caixa de sabão em pó













Máquina de lavar roupa como embalagem de sabão em pó feita na Coréia do Sul

Embalagem/faca para Manteiga














Essa embalagem não guarda ou envolve o pacote de manteiga apenas. Ele funciona como uma para passar no pão. A criatividade ficou por conta do Yeongkeun Jeong.

Nobilin Embalagem Pills











Remédios podem inovar em sua embalagem? Por que não? A Nobilin achou uma forma diferente de demonstrar como o remédio funciona: cada comprimido tem como alvo o alimento pesado em seu estômago.


Fonte: www.administradores.com.br